CULTURA COM ESSÊNCIA

CULTURA COM ESSÊNCIA

Um dia todos os segredos de uma família serão revelados, até os mais aterrorizantes. "Hereditário" perturbador e assustador!

Finalmente um filme assustador até na cena mais silenciosa. Já estávamos cansados de filmes de terror clichê sem "emoção" desde o clássico  "Exorcista" de 1974 (na minha opinião). Tudo bem, alguns até foram "bonzinhos" ao longo dos anos, mas Hereditário superou minhas expectativas. Mexe com segredos profundos, que para manter a estrutura de uma família numa ocasião dessas, é preciso de uma força sobre humana contra o desconhecido.   



Após a morte da reclusa avó, a família Graham começa a desvendar algumas segredos. Mesmo após a partida da matriarca, ela permanece como se fosse uma força misteriosa sobre a família, especialmente sobre a solitária neta adolescente, Charlie (Milly Shapiro), por quem ela sempre manteve uma fascinação incomum. A menina é estranha, tímida e parece esperar por algo que não tem como escapar. Ao mesmo tempo que sentimos uma peninha, nos dá uma sensação estranha do que pode aflorar dessa personagem.    
Mas o peso maior cai sobre a filha Annie Graham interpretada perfeitamente por Toni Collette, que não poupa desespero. Ela incorpora a dor, o ressentimento, a culpa, o medo, a loucura e a constante procura por respostas. Já Steve Graham (Gabriel Byrne) é  sensato, segura a barra com frieza e não se entrega facilmente aos acontecimentos estranhos na família. Mas acredito que ninguém  gostaria de estar na pele de Peter Graham (Alex Wolff) é o mais perseguido e atormentado, entre a realidade e a loucura sua vida já fica sem rumo quando algo inesperado e cruel acontece deixando a família mais desestruturada. Já não sabe se seus pesadelos são reais ou produto de sua loucura. 
    
( Milly Shapiro é  a silenciosa adolescente Charlie Graham)
( Steve Graham (Gabriel Byrne) e  Peter Graham (Alex Wolff), pai e filho )

Ari Aster não poupou detalhes e sustos. Entrou no mais profundo segredo de uma família oprimida. O cenário sombrio, os desenhos e manias estranhas da pequena Charlie, o sonambulismo  de Annie e  o espanto de Peter ao saber que sua mãe fez de tudo para abortá-lo. É de praxe  presenciar em alguns filmes casinhas de bonecas, mas neste filme é uma peça chave para os mistérios que sondam essa família. Sim, há quem diga que o filme é pesado, carregado e etc... Mas é uma narrativa muito  diferente. Tudo  acontece  na medida certa em  que os fatos mais bizarros tomam vida. A atmosfera pesada de cada personagem carrega o clima sinistro.  Apesar dos sustos, a gente se surpreende com cenas de arrancar alguns risos, mas não se engane, o pior do filme sempre vem.   Da mesma produtora do filme "A Bruxa," a A24 o longa estreia dia 21 de junho.
Distribuição Diamond Filmes.

(Annie Graham (Toni Collete) e Joan (Ann Dowd) mexendo com coisas que não deviam)
Assista o trailer
(Fique tranquilo(a)!)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.