CULTURA COM ESSÊNCIA

CULTURA COM ESSÊNCIA

Primavera em Casablanca é um dos filmes selecionados para o Festival Varilux de Cinema Francês 2018. Traz uma perspectiva diferente de cada personagem e seus costumes.


Casablanca é palco de distintas trajetórias em “PRIMAVERA EM CASABLANCA” (Razzia), do cineasta Nabil Ayouch. Entre o passado e o presente, cinco destinos estão inconscientemente interligados. Diferentes rostos, diferentes lutas, mas a mesma busca pela liberdade. E o som de uma revolta que cresce. O filme é estrelado por Maryam Touzani, Arieh Worthalter, Abdelilah Rachid.

Vou contar de uma forma diferente, já que a narrativa se divide em duas épocas no ano de 1982 e 2015. São as histórias de pessoas que tentam ir além das antigas tradições culturais de seu país. Vivem a intolerância e o preconceito além dos seus próprios conflitos internos.    Essa busca pelos seus ideais podem trazer consequências. Um filme para entender melhor, os costumes de uma cultura além das fronteiras.  

(Salima diante de uma decisão e diante dos costumes de sua cultura)

(Salima e Jawad, um casal que tentar seguir juntos)
Salima (Maryan Touzani) é uma mulher  que foge dos costumes tradicionais de sua cultura. Fuma, usa decotes, adora dançar, mas sente que seu parceiro Jawad (Younes Bouab) sutilmente desaprova suas escolhas. Até que Salima descobre que está grávida. Seu mundo entra em colapso e precisa tomar uma decisão. Por um lado, ela aprova a ideia  de criar um filhos sob uma cultura opressora.  


(Amine Ennaji como o professor de ciências Abdallah)
O ano é de 1982 e o Professor Abdallah,  leciona  ciências  numa pequena escola num vilarejo entre as montanhas.  Sua dedicação é impedida, quando autoridades obrigam a educação islâmica (as leis do Alcorão). Abdallah tenta lutar com seus princípios, mas o poder islâmico é dominador e ele decide deixar para trás  até mesmo Yto a mãe de seu aluno Ilyas. Segue  para Casablanca em Marrocos. 

(Yto (Saadia Labid), mãe de Ilyas e seus conselhos para Salima)
Quando jovem em 1982, Yto era a pessoa mais próxima de Abdallah e logo que o professor partiu, seu coração foi junto. Ela então decide encontrá-lo mas o tempo parece não ser justo.
( Hakim interpretado por Abdelilah Rachid, só queria cantar como seu maior ídolo da música, Freddie Mercury do  Queen)

Hakim, um jovem cantor e muito admirador de Freddie Mercury. As canções do Queen inspiram e tudo que o jovem  quer e cantar junto com sua banda e seus sonhos. Nitidamente seu pai não aprova e permanece em silêncio como se Hakim não existisse. Sua pequena e doce irmã é uma das coisas que faz o jovem seguir em frente além da vontade de ser livre como a canção "I Want to Break Free" Hakim emociona cantando "We are the Champions".


(Arieh Worthalter como  Joe e Abdellah Didane como Ilyas, fé no ponto de vista de cada um )
Joe é judeu e  dono do piano bar  "Casablanca".  Ilyas já na idade madura, trabalha como garçom  e mantém uma amizade com Joe e seu pai. Ambos  diferentes em suas crenças, porém amigos de longas conversas sobre suas tradições. Como tema em comum, adoram falar sobre e o cenário encantador do filme Casablanca protagonizados pelo casal Humphrey Bogart e Ingrid Bergman de 1942. Enquanto o assunto é o filme Casablanca,  o cenário real vem com protestos,  intolerância e preconceito que giram  na rotina de ambos. O que deixa claro,  que diferentes crenças culturas podem viver pacificamente um do lado do outro. 


(Dounia Binebine como a  Ines e os dilemas da adolescência)
  
Ines, a mais jovem personagem e provavelmente com uma  vida muito melhor, passa pela adolescência praticamente ausente da  atenção da mãe. Totalmente carente e  dona de suas convicções,  ela traça sua vida com todos conflitos e decisões típicas e imaturas da juventude.    

Assista o trailer




Distribuição California Filmes
Lembrando que o filme faz parte do circuito do Festival Varilux de Cinema Francês 2018. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.