CULTURA COM ESSÊNCIA

CULTURA COM ESSÊNCIA

1945 A Guerra acabou mas alguns segredos não podem ser enterrados.


Quando o peso da sua consciência aponta seus erros mais profundos, não tem como escapar. 1945 é um daqueles filmes que vai te envolvendo até fim. Até quando podemos carregar a culpa olhando nos olhos daqueles que enganamos? Será que o tabelião István Szentes (Péter Rudolf) pode responder?  Reflexão profunda e as heranças que a guerra deixou.

( Comovente o silêncio  do pai e filho  após realizar seus objetivos)

Em um dia de verão em 1945, um judeu ortodoxo e seu filho retornam a um vilarejo na Hungria, portando caixas misteriosas, enquanto os moradores se preparam para o casamento do filho do tabelião da cidade. Os habitantes - desconfiados, cheios de remorso e temerosos - esperam o pior e agem dessa forma. O tabelião teme que os homens possam ser herdeiros dos judeus deportados do vilarejo, representando uma ameaça às propriedades e bens que ele adquiriu ilegalmente durante a Segunda Guerra Mundial.

( Um olhar que pode traduzir mil palavras)


A segunda Guerra Mundial, que vitimou 600 mil civis húngaros – dentre eles, 450 mil judeus – é pano de fundo para 1945. O filme, escrito e dirigido por Ferenc Török, recebeu o prêmio do público na mostra Panorama do Festival de Berlim 2017. Também foi laureado com o Yad Vashem no Festival de Jerusalém, concedido a obras relacionadas ao Holocausto. O drama húngaro é baseado no conto Hazatérés (Homecoming), de Gábor T. Szántó, que assina o roteiro junto com o diretor.

( Segredos serão revelados )

Essência do filme

Apesar de sentir o começo meio sem pé e cabeça, a trama começa  te envolver quando um pavor  coletivo toma conta dos moradores do pequeno vilarejo entre as colinas na Hungria. A chegada de dois judeus ortodoxos e suas caixas misteriosas, chamam atenção do tabelião justo no dia do casamento de seu filho  Árpád Szentes (Bence Tasnádi) com a indecisa Kisrózsi (Dóra Sztarenki). Por se tratar de uma trama que retrata muito bem o antissemitismo, o filme mostra um cenário carregado pela culpa, porém interpretado por cada personagem de uma forma bem peculiar. Por exemplo para a consciência de Kustár (József Szarvas),a culpa o transforma em um beberrão. Sofre pressão da esposa, do tabelião e nem o padre quer saber em ajudá-lo. A noiva Kisrózsi por sua vez não sabe se casa e suas decisões a levarão a um inesperado acontecimento. É tudo muito tenso e a curiosidade impera por onde os judeus passam com suas caixas repletas de mistérios.  O filme é todo em preto e branco e é um dos destaques do intricado retrato de uma sociedade que buscar erguer após o traumas da guerra. Voltar e não poder ter sua vida como era antes é como voltar ao fim e  recomeçar com uma profunda cicatriz. 

( Cartaz do filme surpreendente)


1945 
Hungria 2017
91 minutos  
Drama
Direção: Ferenc Török
Roteiro: Gábor T. Szántó e Ferenc Török
Elenco: Péter Rudolf, Bence Tasnádi, Tamás Szabó Kimmel e Dóra Sztarenki

Agradecimentos e distribuição: Supo Mungam Films

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.