CULTURA COM ESSÊNCIA

CULTURA COM ESSÊNCIA

Bye Bye Alemanha, filme exibido no Festival de Berlim já disponível na plataforma streaming.

Bye Bye Alemanha (EsWar Einmal In Deustchland), um filme emocionante que fez parte do 21 Festival de Cinema Judaico de São Paulo 2017. Para quem é fascinado por histórias pós guerra, pode contar com a marcante e emocionante trajetória dos sobreviventes do holocausto e seus sonhos, traumas e a esperança de uma nova vida. 






Frankfurt, 1946. David Bermann (Moritz Bleibtreu) e seus amigos judeus escaparam do regime nazista e agora sonham em partir para América. Juntos resolvem começar um négócio para vender roupa de cama fina para alemães. O negócio vai indo muito bem e todos visualizam um futuro promissor. Porém as perguntas sobre o passado duvidoso de Bermann o  pertubam. Como adquiriu dois passaportes?  E sua misteriosa visita ao retiro de Hitler nas montanhas. A atraente e intransigente, oficial americana Sara Simon (Antje Traue), se recusa a creditar e encerrar as histórias contadas por Bermann. No entanto  pretende chegar ao coração das memórias do interrogado. Os amigos já desconfiam das saídas misteriosas e ficam com a pulga atrás da orelha, imaginando o que poderia estar escondendo de todos. Cada vez que se depara na frente de Sara, Bermann relata seu sofrimento e atitutes que tomou para conseguir sair do inferno do holocausto.  Cada palavra dita deixa a oficial  mais intrigada e atraida pelas lembranças verdadeiras ou não de Bermann.  Enquanto isso alguns amigos ainda sofrem com o passado dos campos de concentração e por ainda estar vivendo em território alemão. Alguns precisam de vingança, mas as consequências podem trazer muito tristezas. Mas será que Bermann esconde algo tão estarrecedor?




Dirigido por Sam Garbarski e roteiro também de Michel Bergman. Sam  já é conhecido pelos sucessos de  Tango de Rashevski 2003 e Irina Palm 2008. De todos os filmes que assisti sobre o holocausto, esse me pareceu mais leve e de uma forma mais sublime. O filme não mostra tanto aquelas cenas horrorosas que para alguns é  até difícil de acreditar que pessoas morreram e sobreviveram a esse inferno comandado pelo terceiro Reich. Gostei do filme pelo conceito de como aqueles que sobreviveram, ergueram suas vidas mesmo morando no país que causou tanto sofrimento. Impressionante o toque de humor o que faz o filme ficar bem mais poético e curioso com as histórias de Bermann.  Desde que assiti o Fuga de Subibor  1987, A Lista de Schindler 1993, A Vida é Bela 1997, O Pianista 2003, Cinzas de Guerra 2007, O Menino de Pijama Listrado 2008 e tantos outros filmes emocionantes. Bye Bye Alemanha, realmente tem um conceito diferente do ponto de vista de cada personagem sobre o holocausto e pós guerra.  Recomendo!


(Sam Garbarskir no Festival de Berlim )
O diretor contou ainda que a maior dificuldade na adaptação do livro para as telonas foi comprimir a história. “Logo no início, o Garbarski teve a ideia de que o filme poderia se passar no intervalo de 1946 a 1947.  Eu me debati um pouco com isso, a princípio, porque, como autor, tive que dispensar vários acontecimentos e personagens dos quais gostava. Tive que ‘matar meus queridos’ e isso pode ser doloroso”, confessou Bergmann.



Ficha Técnica: 

Elenco: Atnje Traue, Moritz Bleibtreu, Mark Ivanir, Anatole Taubman, Tim Seyfi, Joel Basman, Pál Mácsai, Tania Garbarski, Hans Low
Direção:  Sam Garbarski
Roteiro:  Sam Garbarski e Michel Bergman
Produção: Sébastien Delloye, Roshanak Behest Nedjad e Jani Thiltges
Distribuição: Mares Filmes

Disponível:
NOW R$11,90

VIVO PLAY R$ 11,90
Google Play (Compra R$ 29,90 Aluguel R$9,90)
iTunes (Compra US$6.99 Aluguel US$2.99)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.