CULTURA COM ESSÊNCIA

CULTURA COM ESSÊNCIA

Pendular ( obras do filme) terá exposição no Mam no Rio


A exposição PENDULAR, desdobramento do filme homônimo de Julia Murat, chega ao MAM RIO – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em 19 de setembro, articulando as linguagens do audiovisual, da escultura e da dança, propondo ao público um mergulho no movimento do equilíbrio em seus diversos sentidos.

Desdobramento do processo de desenvolvimento do filme, que une várias formas e expressões de arte em sua narrativa, a exposição começou a se configurar quando alguns vídeos, esculturas e danças foram criados e começaram a “dialogar” para além do propósito cinematográfico.

PENDULAR é uma exposição performática, que tem como questão central o equilíbrio como um estado de instabilidade constante através do encontro de três linguagens: o audiovisual, a escultura e a dança. É composta por quinze esculturas criadas por Elisa Bracher e Marina Kosovski, oito vídeos criados por Julia Murat, e três performances criadas por Flavia Meireles, em colaboração com os performers Raquel Karro e Neto Machado. As performances serão apresentadas nos dias 19/9, 21/10 e 4/11.


O longa-metragem mistura linguagens do cinema, da escultura e da dança. A primeira inspiração para o filme deu-se a partir da performance Rest Energy, de Marina Abramovic e seu marido Ulay, em 1980. Nesta encenação, ambos seguravam um arco tensionado somente pelo peso de seus corpos, apontando uma flecha para o coração de Abramovic, explorando a confiança e a vulnerabilidade inerentes às relações humanas.

Premiado no Festival de Berlim desse ano e selecionado para o Festival de Brasília,PENDULAR chega aos cinemas em circuito comercial em 19 de setembro, com distribuição da Vitrine Filmes. No filme, um jovem casal se muda para um grande galpão industrial abandonado. Uma fita laranja colada no chão divide o espaço em duas partes iguais: à direita o ateliê de escultura dele, à esquerda o estúdio de dança dela. O filme acontece neste ambiente onde arte, performance e intimidade se misturam; e onde os personagens perdem aos poucos a capacidade de distinguir entre seus projetos artísticos, o passado de cada um e sua relação amorosa. 



SERVIÇO
Pendular – Exposição
De 19 de setembro a 5 de novembro

Local: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
Endereço: Av Infante Dom Henrique 85 - Parque do Flamengo
Horário: ter à sex, das 12h às 18h, sáb, dom e feriados, das 11h às 18h
Ingressos: R$14 inteira (ingresso família R$14 - domingos, até 5 pessoas)

FICHA TÉCNICA EXPOSIÇÃO:
Realização: Esquina Artes e Bubbles Project.
Artistas: Elisa Bracher, Flavia Meireles, Julia Murat, Marina Kosovisk
Projeto expográfico: Pedro Évora
Produção: R&L Produtores Associados

FICHA TÉCNICA FILME:
Elenco: Raquel Karro, Rodrigo Bolzan, Neto Machado, Marcio Vito, Felipe Rocha, Renato Linhares, Larissa Siqueira, Carlos Eduardo Santos, Valeria Berreta, Martina Revollo

Diretora: Julia Murat
Roteiristas: Julia Murat, Matias Mariani
Produtoras: Julia Murat, Tatiana Leite
Co-produção: Juliette Lepoutre, Andrés Longares, Pierre Menahem, Júlia Murat, Felicitas Raffo, Julia Solomonoff, Canal Brasil e Telecine.
Diretora de fotografia: Soledad Rodrigues
Diretora de arte: Ana Paula Cardoso
Figurinista: Preta Marques
Editores: Lia Kulaukauskas, Marina Meliande
Som direto: Catriel Vildosola/ Desenho de som: Daniel Turin Fernando Henna
Compositores: Lucas Marcier, Fabiano Krieger 
Casting: Maria Clara Escobar
Coreografias: Flavia Meireles
Esculturas: Elisa Bracher, Marina Kosowski

Biografias artistas:
Elisa Bracher
Elisa Bracher (São Paulo SP 1965). Escultora, gravadora e desenhista. É formada em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado - Faap, em São Paulo. Durante o último ano da faculdade, faz curso de gravura em metal com Evandro Carlos Jardim (1935). Em 1989, torna-se professora de desenho e gravura na Faculdade de Artes Plásticas da Faap. Trabalha com gravura, realizando obras abstratas, com leve tendência construtiva, no começo da década de 1990. Em paralelo, inicia a realização de trabalhos tridimensionais em metal. Em seguida, passa a utilizar a madeira em suas obras. Em 1998, a editora Cosac & Naify publica o livro Madeira sobre Madeira, com texto do crítico de arte Rodrigo Naves acerca da sua produção. Elisa tem trabalhos em diferentes locais públicos, no Brasil e no exterior. Dentre suas exposições mais importantes se destacam: “ Anatomia da Flor” (2016) exposição individual no Paço Imperial, Rio de Janeiro, “Luctus Lutum”- (2015)exposição individual na Galeria Raquel Arnaud, São Paulo e “Ponto Final Sem Pausas”(2012), exposição individual no MAM do Rio de Janeiro.
Marina Kosovisk
É designer e há mais de 15 anos desenvolve seu trabalho de criação no projeto de objetos, produtos e mobiliário, na direção de arte para cinema e arquitetura, em exposições, artes visuais e design grá co. Atualmente coordena o setor de design de mobiliário e a marca Orb Mobiliário, na empresa de e-commerce B2W.
Flavia Meireles
É mestre em Artes Visuais na EBA/UFRJ e pesquisa o corpo e a dança em experimentação. Cria seus próprios trabalhos (Trabalho para Comer, Sem nome, todos os usos) e esteve como artista-residente no Centre International des Récollets. Produziu os eventos Uma noite com Yvonne Rainer e amigos, Abi Pensa a Dança, Práticas do Comum e Ciclo de Encontros: a Dança Carioca no Centro Coreográ co do Rio de Janeiro. Coordena o grupo de pesquisa Temas de Dança.

SOBRE JULIA MURAT
Julia Murat, dirigiu os documentários "Dia dos Pais" e "Manual Anti Distúrbio" e os longas-metragens de ficção "Histórias que só existem quando lembradas” (exibido em mais de 100 festivais internacionais e nacionais, entre os quais Veneza e Toronto, e vencedor de 30 prêmios) e “Pendular" (Vencedor do FIPRESCI no Festival de Berlim 2017). 

Atualmente trabalha na produção do documentário “Excelentíssimos", de Douglas Duarte, e no desenvolvimento do longa-metragem de ficção "Regra 34" e da série “Viaduto”.

Julia editou também filmes como "Olhar Estrangeiro", "Maré nossa história de amor" e "Os dias com ele".

SOBRE A VITRINE FILMES


Em sete anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 70 filmes. Entre seus maiores sucessos estão Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, que alcançou mais de 200 mil espectadores; O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, considerado pelo New York Times um dos melhores filmes de 2012; o americano Frances Ha, indicado ao Globo de Ouro em 2014; Califórnia, filme de estreia de Marina Person, selecionado para o Festival de Tribeca; Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert, diretora do premiado Que Horas Ela Volta?; Aquarius, segundo longa de Kleber Mendonça Filho que competiu no Festival de Cannes e já levou 360 mil espectadores aos cinemas; e o documentário Cinema Novo, de Eryk Rocha, também selecionado para o festival. Este ano a Vitrine distribuiu O Filme da Minha Vida, terceiro longa de Selton Mello como diretor.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.